RETRATOS

Eu rabisquei o seu nome

Eu rasguei seu retrato

Esqueci nossas datas

Mas não sei te esquecer

 

Seus olhos contam uma história

Em milhares de quadros

Que espalham memórias

Nas paredes do meu quarto

 

Um retrato do passado

Não revela quem sou

Só me deixa exposto

Ao negativo do que acabou

 

Vejo ruídos em cinzas

De um filme mudo

Sobre um casal de cegos

E cansados de tudo

 

Me faltam as páginas

Que você arrancou

De um livro inacabado

Numa lingua que a gente criou

 

Eu cansei de ouvir

Você chovendo em silêncio

Aquela melodia molhada 

Que ninguém cantou

 

Um retrato do passado

Não revela quem sou

Só me deixa exposto

Ao negativo do que acabou

3 Comments

  • Posted julho 19, 2020
    by Diane Santos

    “Um retrato do passado”
    Revela sim quem sou…
    Sou parte daquele retrato.
    Não gói ele quem trouxe-me até aqui?
    Sem ele, não seria quem sou!
    As páginas inacabadas ,
    o retrato na parede…
    Se estou aqui, olhando isso (O passado talvez?).
    Não seria hora,
    Agora…
    Já que reflito,
    Abrir o livro
    Uma nova página
    Escrever um novo capitulo?

    • Posted julho 19, 2020
      by Homero Meyer

      Quantas obras inacabadas deixamos pelo caminho quando há essa necessidade de recomeçar, de um novo livro, de uma nova página ou um novo capítulo antes mesmo de entender o que ficou para trás? Talvez seja o momento de ler, reler, refletir e, encontrar dentre as diversas palavras já escritas, aquelas que desde sempre significaram o fim. Talvez seja simples assim.

      • Posted julho 21, 2020
        by Diane Santos

        A vida é simples, mas preferimos ler Dostoiévski e Machado de Assis!
        Impossível encarar a vida sem questionamentos depois de algumas experiências:
        De vida:
        De leitura;
        De aprendizado.
        Quisera eu olhar para minha vida e conhecer minhas virtudes e fraquezas, bem como Brás Cubas:
        Despir a alma e entender a si. Sera?
        Desejamos coisas e nem sabemos se é o melhor…
        Mas, anseio por suas novas páginas, apesar de ler muito pouco ainda de seus primeiros parágrafos.

Leave a comment